Dia das Crianças na favela Marezão em Olinda

O Projeto AMIGOS realizou uma tarde de recreação com as crianças da favela Marezão no bairro de Paixinhos em Olinda em parceria com a Sociedade de Improviso e Ganhadores de Almas (SIGA), juventude da 2ª Igreja Batista em Brasília Teimosa no Recife  e crianças  e adolescentes da Igreja Batista Missionária em Águas Compridas em Olinda.

Enquanto as crianças do Marezão participavam da recreação, uma equipe visitou algumas famílias da comunidade para cadastro que servirá para novas ações do Projeto AMIGOS no local.

Agradecemos aos participantes dessa nova ação na favela Marezão.

VEJA AS FOTOS 

Favela Marezão

Favela Marezão em Olinda 

Lama e mato na realidade das famílias do Marezão

Lama e mato na realidade das famílias do Marezão

Wellington Nascimento, Coordenador do Projeto AMIGOS com crianças do Marezão

Wellington Nascimento, Coordenador do Projeto AMIGOS com crianças do Marezão

Recreação com as crianças da favela Marezão

Recreação com as crianças da favela Marezão

Equipe do Projeto AMIGOS visitando famílias do Marezão

Equipe do Projeto AMIGOS visitando famílias do Marezão 

A recreação com as crianças da favela Marezão aconteceu no dia 12 de outubro.

 

Projeto AMIGOS

Projeto AMIGOS na Casa Sempre Viva em Dois Unidos

O Projeto AMIGOS promoveu a última visita 2013 a Casa de Apoio Sempre Viva no bairro de Dois Unidos na Zona Norte do Recife. A visita contou com a participação de Colaboradores de Igrejas de Olinda, Recife e Paulista. Além de um culto especial na Sempre Viva, os AMIGOS promoveram evangelismo nas áreas próximas da entidade e uma “Tarde da Beleza” cuidando do cabelo das mulheres da Casa. Também foi distribuídos Kits de beleza com shampoo, hidratantes, sabonetes entre outros itens.

Agradecemos a todos os participantes nesta visita a Sempre Viva.

VEJA AS FOTOS 

Casa de Apoio Sempre Viva

Casa de Apoio Sempre Viva

Projeto AMIGOS na Sempre Viva em Dois Unidos

Projeto AMIGOS na Sempre Viva em Dois Unidos

Culto Especial na Sempre Viva

Culto Especial na Sempre Viva

Momento de Oração pelas mulheres da Sempre Viva

Momento de Oração pelas mulheres da Sempre Viva

Evangelismo no Vale do Senhor

Evangelismo no Vale do Senhor

Tarde da Beleza com as mulheres da Sempre Viva

Tarde da Beleza com as mulheres da Sempre Viva 

A visita a Casa de Apoio Sempre Viva aconteceu no último domingo de setembro / 2013.

 

Projeto AMIGOS

Abril pra Missões 2013

O Projeto AMIGOS realizou no dia 27 de abril na Escola Padre Francisco Carneiro no bairro de São Benedito em Olinda a segunda edição do ABRIL pra MISSÕES (AM). O Evento que aconteceu durante todo o dia contou com participação de cantores e ministérios.

ABRIL pra MISSÕES – PRIMEIRO HORÁRIO

O primeiro horário do evento contou com a participação do cantor Sandro Ferrer, que além de suas canções, foi responsável pelo louvor na abertura do AM. Ainda tivemos a participação do Correspondente Local da Portas Abertas Brasil, Cristiano Nascimento que além de enfatiza a importância da igreja livre (cristãos que tem liberdade de religião) a se envolverem na causa dos cristãos que são perseguidos em países fechados para o Evangelho de Cristo. Cristiano ainda falou sobre o Domingo da Igreja Perseguida (DIP) no dia 26 de maio. Logo após, houve pausa para café da manhã com os participantes.

ABRIL pra MISSÕES – SEGUNDO HORÁRIO

O segundo horário do AM contou com a participação do cantor Carlos Asafe da Igreja Presbiteriana do Pina, na Zona Sul do Recife. Em seguida, houve uma palestra (breve no youtube) com Leonardo Lima do Ministério Maná de Letras sobre Missões na Internet. Leonardo destacou como utilizar bem as redes sociais: “Devemos postar o que edifica, educa, conscientiza, informa e disciplina”, disse. Após um momento de oração, houve um almoço preparado pelos AMIGOS para os participantes.

ABRIL pra MISSÕES – TERCEIRO HORÁRIO

Por volta das 14hs começou o terceiro horário do ABRIL pra MISSÕES. Devido a chuva forte na Zona Sul da cidade, o cantor César Santos, não pode chegar no evento (César ligou pra equipe pedindo desculpas), mas isso não alterou a programação. O pastor André Renan, missionário de povos indígenas (etnia Kambiwá). André compartilhou sobre trabalho na Aldeia Nazário e os desafios que ele sua esposa enfrentam no local. André Renan, é um dos missionários que tem o apoio dos AMIGOS no Projeto ADOTE. Ainda houve a participação de Raimundo Barreto, da Operação Marcha para Jericó (OMJ) de Garanhuns (PE). Barreto falou sobre o objetivo da OMJ enfatizou a mobilização que é feita com pessoas de várias cidades na oração pelo Brasil (saiba mais). Um artigo sobre o ABRIL pra MISSÕES foi publicado no site da Operação, leia. A juventude do N’ativa Missões de Impacto de Recife marcaram presença no evento. A galerinha não ficou na Escola, o impacto aconteceu na Praça da Convenção em Beberibe. Cláudia Lenita, do Projeto AMIGOS registrou um pouco do trabalho do N’ativa, veja. Pausa para o jantar.

ABRIL pra MISSÕES – QUARTO HORÁRIO

O evento noturno foi aberto pelo cantor Joase Viera, que cantou as músicas de seu novo trabalho (veja o vídeo de Joase no evento e ouça também sua músicas no Palco MP3). A juventude da Segunda Igreja Batista de Brasília Teimosa, Zona Sul do Recife, marcaram presença no ABRIL pra MISSÕES com a peça “A Igreja Adormecida” (assista). Para fecha o evento, Laércio Lins e José Nelito, do Ministério Sal da Terra cantaram  e compartilharam testemunhos. Ouça as músicas de Laércio no Palco MP3. Após um momento de oração e agradecimentos, o Projeto AMIGOS finalizou o ABRIL pra MISSÕES 2013.

GALERIA DE FOTOS

Sandro Ferrer no ABRIL pra MISSÕES 2013

Sandro Ferrer no ABRIL pra MISSÕES 2013

Marcos Júnior Coordenador de Missões na Batista Graça e Paz do Pina

Cristiano Nascimento, Correspondente Local da Portas Abertas Brasil orando pela Igreja Perseguida

Momento de Oração finalizando o primeiro horário do ABRIL pra MISSÕES

Carlos Asafe abrindo o segundo horário do ABRIL pra MISSÕES

Diretor da Escola Padre Francisco Carneiro (Pastor) Saulo Guimarães (no centro) convidado para orar. Na imagem ainda Wellington Nascimento (de vermelho) e Leonardo Lima

Leonardo Lima, do Ministério Maná de Letras na palestra Missões na Internet

Pastor André Renan, missionário na Etnia Kambiwá

Compartilhando a Palavra de Deus com as Crianças

Raimundo Barreto da Operação Marcha pra Jericó do Brasil

Projeto AMIGOS e a galerinha do N’ativa Recife

Cantor Joase Vieira no ABRIL pra MISSÕES 2013

Wellington Nascimento e os jovens da 2ª Batista de Brasília Teimosa

José Nelito e Laércio Lins (violão) do Ministério Sal da Terra

André Gomes (SIGA), Denilma Moura (Projeto AMIGOS) e Glauce e pastor Gustavo Melo (Batista Renascer)

AGRADECIMENTOS

  • Escola Padre Francisco Carneiro 
  • Água Ágil
  • Igreja Pentecostal do Deus Vivo
  • Raimundo Barreto – OMJ Brasil 
  • SIGA
  • N’ativa
  • Batista Renascer em Caixa D’água
  • Juventude da 2ª Batista de Brasília Teimosa 
  • Batista Missionária em Águas Compridas
  • Sandro Ferrer 
  • Carlos Asafe
  • Leonardo Lima
  • Wagner Frazão Jr.
  • Pastor André Renan
  • Laércio Lins / José Nelito
  • Primeira Batista de Jardim Beberibe
  • Cristiano Nascimento – Portas Abertas Brasil
  • Equipe Projeto AMIGOS

 

Projeto AMIGOS

Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos 2013

Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos
Desde 2008 o Projeto AMIGOS organiza o Domingo da Igreja Perseguida (DIP) na Igreja Batista Missionária em Águas Compridas em Olinda envolvendo irmãos na causa daqueles que sofrem perseguição religiosa em países como Coreia do Norte, China, Bangladesh, Iraque, Somália, Eritreia entre outros. Através do site da Portas Abertas Brasil, nosso BLOG é atualizado com notícias, artigos e testemunhos de cristãos perseguidos. Esse ano o Projeto AMIGOS realizará um DIP diferente, o foco será mobilizar pessoas de várias cidades para orar. No dia 26 de maio levantaremos uma onda de oração em favor de cristãos que sofrem por causa da fé. A mobilização começa a meia noite do sábado para o domingo. Queremos que nas primeiras horas do domingo, cristãos de vários lugares estejam orando.
Faça parte você também. Escolha um horário. Informe seu nome e cidade e escolha um horário da 00:00 a 23:59 do dia 26 maio.
Compartilhe esta mobilização com seus amigos e vamos juntos orar pelos cristãos perseguidos.
»» Se você reservou um horário para orar com sua família, amigos ou na sua igreja pelos cristãos perseguidos, nos envie fotos para nosso relatório do DIP 2013. Sua foto será publicada em nosso blog e compartilhada em nossas redes sociais. 
Ore pelos Cristãos Perseguidos no Twitter @projetoamigospe
RETROSPECTIVA:  ÚLTIMOS 

Projeto AMIGOS

Amigos na Comunidade no Alto da Conquista em Olinda

No dia 16 de março o Projeto AMIGOS realizou o Mutirão Amigos na Comunidade no Alto da Conquista na periferia de Olinda em parceria com a Igreja Pentecostal do Deus vivo (IPDV). Equipes de evangelismo foram divididas na localidade que possui áreas de risco (barreiras e córregos) . Após visitas as famílias na localidade, um culto especial foi realizado na Igreja IPDV. As famílias que compareceram receberam cestas de alimentos e Bíblias. Adonias Pedro e Renata Unias, Colaboradores do Projeto AMIGOS promoveram uma tarde de recreação com as crianças. Após culto, as famílias tomaram sopa com toda a equipe.

GALERIA DE FOTOS 

Alto da Conquista – Famílias em área de risco

Barreiras e lixo: Perigo para todos

Vista das casa encima da barreira

Cláudia Lenita do Projeto AMIGOS conversando com moradora do Alto da Conquista

Grupo de evangelismo nas ruas do Alto da Conquista

Wellington Nascimento, Coordenador do Projeto AMIGOS em momento de louvor com as famílias

Colaboradoras do Projeto AMIGOS da Segunda Igreja Batista de Brasília Teimosa, Recife

Patrícia Nascimento, Coordenadora do Projeto AMIGOS orando pelas famílias

Edilene, moradora do Alto da Conquista, aceita a Jesus como Único e Suficiente Salvador

Famílias do Alto da Conquista recebendo os alimentos do Projeto AMIGOS

Adonias Pedro, compartilhando o Evangelho de Cristo com as crianças

Momento de oração com as crianças

Adonias Pedro e Renata Unias, no Mutirão Amigos na Comunidade com as crianças do Alto da Conquista

Projeto AMIGOS

Viagem Missionária para Santa Maria de Cambucá, PE

SOBRE A CIDADE: A povoação do município ocorreu em torno da capela de Nossa Senhora do Rosário, fundada pelo padre Ibiapina em 1876. O local era chamado de Carrapato. Inicialmente integrante do território do município de Taquaritinga (hoje Taquaritinga do Norte), o distrito foi criado a 25 de julho de 1895 e chamava-se apenas Santa Maria. Depois, o distrito passou a pertencer ao município de Vertentes (criado a 11 de setembro de 1928) e a 31 de dezembro de 1938 mudou o nome para Ibiapina, para diferenciar-se do município de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Em 1944, passou a chamar-se Cambucá, uma vez que Ibiapina é o nome de uma cidade no Ceará. Cambucá é o nome de uma árvore existente no município. O município de Santa Maria do Cambucá foi criado a 20 de dezembro de 1963. A vegetação predominante é a caatinga, existindo também áreas de floresta. O município tem como principais tributários o Rio Caiaí e os riachos da Macaca, dos Porcos e do Tanque, todos de regime intermitente. Ao norte de Santa Maria de Cambucá está a Paraíba; ao sul, Frei Miguelinho; leste, Vertente do Lério e Surubim e oeste, Vertentes.

PRIMEIROS CONTATOS: Cláudia Lenita, do Projeto AMIGOS nasceu em Surubim, cidade vizinha à Santa Maria de Cambucá. Algumas vezes, Cláudia precisa sair de Olinda (onde mora atualmente) para resolver algumas coisas em Surubim. Numa dessas suas idas a cidade (em setembro de 2012), ela conheceu famílias de Manduri. Cláudia achou que aquele povoado era de sua cidade natal, mas descobriu depois que era de outro município. Ao compartilhar a realidade daquelas famílias, nasceu no coração de todos os AMIGOS o desejo de chegar naquele lugar, foi aí que o Projeto se preparou para sua primeira viagem missionária.

CONTATOS: Cláudia voltou para Manduri alguns dias depois para encontrar apoio de uma igreja evangélica local, mas isso não foi possível. A igreja que buscamos apoio não se interessou pelo trabalho devido à distância entre a mesma e o vilarejo. Assim, achávamos difícil chegar a Manduri sem nenhum apoio. Ficamos aguardando outra solução. Dias depois de publicarmos o relatório do Mutirão Amigos na Comunidade no Loteamento Grande Recife em Jaboatão dos Guararapes, recebemos um comentário no blog de alguém elogiando as ações dos AMIGOS e citando com seria muito bom que o mesmo acontecesse na sua cidade. Quando entramos em contato, descobrimos que a pessoa (Angelita) morava em Surubim. A partir daí, passamos a ter novos contatos para nos ajudar a chegar a Manduri.

LEVANTAMENTO DE CAMPO: O Projeto AMIGOS visitou Manduri duas vezes para reconhecimento do local. A primeira visita aconteceu no dia 01 de dezembro de 2012 e a outra no dia 23 de janeiro de 2013. As visitas ajudaram os AMIGOS a firmarem parcerias com igrejas locais e reconhecer melhor o local para as ações no dia do evento.

A VIAGEM PARA MANDURI: Seguimos viagem para Santa Maria de Cambucá no dia 16 de fevereiro (2013). Parte da equipe estava com o Projeto AMIGOS pela primeira vez, os contatos aconteciam pelo celular e redes sociais. Chegamos primeiro em Surubim por volta das 10hs da manhã. Após pegarmos cadeiras e equipamentos na Igreja Evangélica Adoradores do Rei, seguimos para Manduri. Depois descarregarmos o veículo, seguimos para uma sala da Escola José Almeida de Bezerra, nossa base para as ações em Manduri. Wellington Nascimento, Coordenador do Projeto AMIGOS repassou algumas instruções e enfatizou a importância de estarmos naquele lugar. Fez também a apresentação da equipe e separação dos grupos para inicio do evangelismo após o café da manhã. Equipes foram distribuídas em três áreas do vilarejo. Outra equipe permaneceu na escola separando roupas, alimentos e preparando o almoço.

RESULTADO: Após evangelismo, as equipes retornaram para a escola para almoçar. Em seguida uma equipe seguiu para a Casa de Recuperação Projeto Nova Fé. Além de reconhecer a casa, os AMIGOS doaram três cestas de alimentos. Por volta das 17hs, começou o culto evangelístico na quadra da escola em Manduri. Antes do culto, Adonias e Renata (Equipe) realizaram um trabalho especial com as crianças de Manduri. Durante o culto na quadra as crianças fizeram uma apresentação de uma música que aprenderam à tarde. O louvor contou com a ajuda dos irmãos da Igreja Adoradores do Rei. Vagner Alves, pregou no fim da tarde. Após convite, 32 pessoas aceitaram a Jesus como Salvador. Mais de 70 famílias saíram da quadra com alimentos para sua casa. Crianças e adultos ainda tomaram a sopa preparada pela equipe. Por volta das 20hs. Estávamos saindo de Manduri e seguindo para Surubim. Leia mais sobre a Viagem Missionária para Manduri no Blog do Ministério Maná de Letras de Leonardo Lima.

DE VOLTA PRA CASA: Após sair de Manduri, seguimos para a Igreja Adoradores do Rei em Surubim para agradecimentos e considerações finais. Em circulo, todos oraram juntos na igreja. Duas equipe seguiram viagem para Recife, uma no veículo locado pelo Projeto AMIGOS e outra no veículo de Vagner. Quase 22 horas estávamos no Recife.

GALERIA DE FOTOS 

Chegando do Projeto AMIGOS em Surubim: Últimos detalhes para seguir para Manduri

Chegando do Projeto AMIGOS em Surubim: Últimos detalhes para seguir para Manduri 

Chegada do Projeto AMIGOS em Manduri

Chegada do Projeto AMIGOS em Manduri

Projeto AMIGOS em Manduri: Retirando os alimentos do veículo e seguindo para a base

Projeto AMIGOS em Manduri: Retirando os alimentos do veículo e seguindo para a base 

Wellington Nascimento, Coordenador do Projeto AMIGOS explicando a importância de todos nesta ação em Manduri e a realidade do vilarejo

Wellington Nascimento, Coordenador do Projeto AMIGOS explicando a importância de todos nesta ação em Manduri e a realidade do vilarejo

Pastor José Pereira (Zezinha) da Igreja Evangélica Pentecostal Missionária de Cristo

Pastor José Pereira (Zezinha) da Igreja Evangélica Pentecostal Missionária de Cristo

Orando pelas Famílias de Manduri

Orando pelas Famílias de Manduri

Famílias de Manduri com o Projeto AMIGOS

Famílias de Manduri com o Projeto AMIGOS

Famílias de Manduri recebendo roupas

Famílias de Manduri recebendo roupas

Alimentos para as famílias de Manduri

Alimentos para as famílias de Manduri

Vegetação de Manduri em Santa Maria de Cambucá, PE

Vegetação de Manduri em Santa Maria de Cambucá, PE

Crianças de Manduri

Crianças de Manduri

Projeto AMIGOS na Casa de Recuperação Projeto Nova Fé em Surubim

Projeto AMIGOS na Casa de Recuperação Projeto Nova Fé em Surubim

Pessoas de Manduri participando do Culto na quadra da Escola José Bezerra de Almeida com os AMIGOS

Pessoas de Manduri participando do Culto na quadra da Escola José Bezerra de Almeida com os AMIGOS

Louvando a Deus com as famílias de Manduri

Louvando a Deus com as famílias de Manduri

Vagner Alves, da Igreja Presbiteriana do Pina ministrando a Palavra de Deus em Manduri

Vagner Alves, da Igreja Presbiteriana do Pina ministrando a Palavra de Deus em Manduri

Momento de Oração pelas crianças de Manduri

Momento de Oração pelas crianças de Manduri

Famílias de Manduri recebendo alimentos

Famílias de Manduri recebendo alimentos

Crianças de Manduri recebendo brinquedos

Crianças de Manduri recebendo brinquedos

Adonias Pedro do Projeto AMIGOS com as crianças de Manduri na hora da sopa

Adonias Pedro do Projeto AMIGOS com as crianças de Manduri na hora da sopa

Participante da Ação Missionária em Manduri em Santa Maria de Cambucá

Participante da Ação Missionária em Manduri em Santa Maria de Cambucá

EQUIPE: Wellington Nascimento, Patrícia Nascimento, Cilene Alves, Cláudia Lenita, Adonias Pedro, Renata Unias, Hildenaura Santos, Elisângela Maria, Leonardo Lima, Sara Oliveira, Jailton Chagas, Icariolando Bernardo, Eliane Paulo, Vagner Alves, Angelita Lima, Valbério Lima, Pastor Emídio Silva, Gaby Silva.

Projeto AMIGOS

Página atualizada: 21/03/2013

Capacitando a família

A família é o principal contexto de aprendizagem, pois é nela que os valores e modelos são assimilados desde a mais tenra infância. É um sistema interacional, provido de uma estrutura hierarquicamente organizada, com o fim de assegurar a continuidade e o crescimento de seus membros. Assim, como um móbile, a família precisa encontrar o equilíbrio dinâmico entre duas funções aparentemente contraditórias: homeostase e transformação. Uma visa manter a família unida, enquanto a outra promove a sua evolução. A cada fase do ciclo familiar, o equilíbrio anterior é rompido para dar lugar ao novo. A crise permite uma reorganização mais adequada. Instabilidade, incertezas e ansiedade marcam a passagem para um novo equilíbrio funcional. Fatores perturbadores como perdas, abandono, separação, desemprego são a base para o desenvolvimento dos mitos, que vão dar significado à situação vivida, em função das referências provenientes das gerações anteriores.

Para se desenvolver de forma saudável, a pessoa precisa de cuidados especiais. A função materna, assumida pela mãe biológica ou por uma figura substituta, inclusive o pai, se inicia com a construção de um vínculo afetivo que permite à pessoa se sentir acolhida e parte integrante da família. Maternidade diz respeito também à capacidade de nutrição física e emocional, bem como à organização das necessidades básicas. A função paterna, por sua vez, garante limite, proteção e direção. O casal ainda transmite à criança padrões de relacionamento quanto à sexualidade, afetividade e companheirismo. Por meio dessa herança, o ser humano vai construindo sua identidade e aprende a se relacionar. As falhas e ambiguidades no desempenho das funções materna, paterna e de casal geram carências que precisam ser supridas.

As relações se desenvolvem dentro de regras que determinam a maneira de agir de seus membros e o papel de cada um. A família se adapta às mudanças internas e externas, de acordo com os padrões de interação desenvolvidos até então. Se estes modelos de relacionamentos forem inadequados para lidar com o desafio presente, a família entra em crise facilmente identificada por um sintoma condensado num de seus membros. O sintoma tem a dupla função de denunciar o problema e manter a situação.

Trata-se de um distúrbio mental ou comportamental que precisa ser compreendido como o resultado de uma disfunção da família como um todo. O grande equívoco da família é focalizar o sintoma como sendo a causa de seu mal-estar, em vez de perceber que é apenas a conseqüência de uma crise do sistema familiar. Tentar eliminar o sintoma sem enxergar suas raízes não resolve o impasse, apenas contribui para estigmatizar o membro afetado mais diretamente, que se torna a lata de lixo ou o bode expiatório da família. A terapia familiar sistêmica o chama de “paciente identificado”, pois ele se torna porta-voz e depositário da patologia da família. Quando os problemas não são verbalizados e encarados, a família tende a parar de crescer. Ela não percebe que esta crise é justamente a oportunidade de aprimorar as relações entre os seus membros e promover o crescimento de cada um deles.

Além das crises decorrentes do ciclo evolutivo, os papéis tradicionais de homem e mulher estão sendo questionados com grandes repercussões para o exercício da paternidade e da maternidade. Sustentar a casa já não é exclusividade do homem nem educar os filhos, da mulher. Ambos estão compartilhando essas responsabilidades como um novo desafio, no qual os pontos de atrito são multiplicados até encontrarem um equilíbrio específico e válido apenas para o momento presente. Se as mulheres conquistaram novos espaços, os homens muitas vezes se sentem acuados e fragilizados. Eles então se isolam e se omitem, deixando o espaço vazio para a mulher assumir. Em conseqüência disso, as estatísticas apontam um aumento de famílias matrifocais, do alcoolismo e do homossexualismo. A perda de autoridade do homem tende a gerar um aumento do autoritarismo e da violência física.

Comunicação clara, fronteiras nítidas e flexíveis, hierarquia correta, união e diferenciação são algumas condições para a construção de famílias saudáveis. A terapia familiar sistêmica visa mobilizar os recursos da família para enfrentar as crises e prevenir outros conflitos, à medida que produz mudanças significativas no sistema, contribuindo para aprimorar as relações entre os membros e no interior dos vários subsistemas. Assim, a abordagem familiar propicia uma melhora na qualidade de vida em família, fortalecendo os vínculos e ampliando as estratégias para a resolução dos conflitos.

Por: Isabelle Ludovico da Silva é terapeuta familiar sistêmica.

Fonte: Revista Ultimato (Edição: Novembro-Dezembro 2001) / Projeto AMIGOS

Projeto AMIGOS no NACC 2013

Margarete (Projeto AMIGOS): Reflexão para as famílias das crianças do NACC

Margarete (Projeto AMIGOS): Reflexão para as famílias das crianças do NACC 

Renata (Colaboradora dos AMIGOS) compartilhando o amor de Jesus as crianças do NACC

Renata (Colaboradora dos AMIGOS) compartilhando o amor de Jesus as crianças do NACC

Crianças do NACC: Hora de pintar!

Crianças do NACC: Hora de pintar!

Criança do NACC

Criança do NACC

Wellington Nascimento (Projeto AMIGOS): Distribuição de Bíblias

Wellington Nascimento (Projeto AMIGOS): Distribuição de Bíblias 

Margarete orando por Ana Cristiana que aceita Jesus como Salvador

Margarete orando por Ana Cristiana que aceitou Jesus como Salvador 

Mãe (que recebeu Bíblia do Projeto AMIGOS) com seu bebê

Mãe (que recebeu Bíblia do Projeto AMIGOS) com seu bebê

Equipe que participou da primeira visita 2013 ao NACC

Equipe que participou da primeira visita 2013 ao NACC

Prédio do NACC

Prédio do NACC 

» A visita ao NACC aconteceu no dia 20 de janeiro e foi coordenada por Margarete da Equipe do Projeto AMIGOS

Projeto AMIGOS

Pós carnaval

Para nossa alegria mal começamos mais um ano e um longo feriado nos espera. Viagens, amigos e, para muitos que se retiram do barulho e das nuvens cinzas de poluição, até mesmo outra “atmosfera”. Jovens e adolescentes de diferentes comunidades e igrejas estão de malas prontas para o tão planejado e aguardado acampamento de carnaval. Antes da saída temos o pré -acamp, um “esquenta as turbinas” para esses dias onde tudo parece tão diferente.

Sempre me intrigou as coisas que acontecem durante esses quatro ou cinco dias “mágicos”. São dias que nos enchem de uma força tão grande. Parece que na volta seremos capazes de vencer tudo que vier como obstáculo que impeça o prosseguir nessa estrada da vida.

Você pode se perguntar se esse texto é um desabafo, ou uma crítica. Olho com outra perspectiva. A perspectiva da preocupação do dia seguinte, ou melhor, da continuidade da nossa caminhada. Nesses dias nos embriagamos de emoções, sentimentos, renovamos votos, nos reencontramos, juntamo-nos em grupo em uma clara demonstração das necessidades que gritam em rostos juvenis.

Por vezes pensei como seria bom se isso não terminasse numa quarta-feira de cinzas. Se ao invés de voltarmos, simplesmente nos fosse permitido continuar ali, na espera daquele grande dia do nosso resgate.

Tenho certeza que você já pensou assim. Felizmente, a volta, o “pós” nos espera. Fica a pergunta: o que faremos ao retornar?

Corremos para nos manter animados, cheios de esperança e certos que agora tudo será diferente. Será possível? Para muitos essa força parece ir se esvaindo em dias, ou semanas. Será que o confronto com a realidade de um mundo carente nos abate, e nos vemos novamente impotentes? O pós tem muito a nos ensinar. Onde você estiver nesses dias, aproveite para ter um encontro real e pessoal na perspectiva correta que mais do que a ida, a volta é mais importante. Fica a reflexão, e que cada um compreenda que os outros 300 e tantos dias são um constante desafio de prática do amor, paciência e esperança.

____________________

Por: Jeverton “Magrão” Ledo é missionário e capelão escolar.

Fonte: Revista Ultimato / Projeto AMIGOS

O que fazer com o carnaval?

Escrevo do Uruguai, a terra do “carnaval mais longo do mundo”, com 40 dias de duração. Sim, desculpem-me Pernambuco, Bahia ou Rio, mas o carnaval também é uruguaio.

Aqui, como em outras partes do mundo, boa parte da igreja evangélica olha com reprovação as festividades em torno do carnaval, em crítica, negação ou simplesmente escape em direção aos seguros retiros espirituais.

É fácil perceber a tensão que existe no olhar da igreja evangélica a certas manifestações e celebrações culturais, como o carnaval e o Halloween, por exemplo, onde é possível encontrar referências cristãs (alguns diriam que diluídas ou distorcidas) em suas origens ou na evolução de sua história.

Também, de modo até surpreendente, há outras festas que geram uma rejeição por parte de certos grupos cristãos, seja ao Natal ou a versões da Páscoa. Argumenta-se sobre suas origens pagãs em um caso, ou a sobre a contaminação com elementos estranhos a fé no outro.

Possivelmente haja riscos ao levantar em tão pouco espaço perguntas sobre essas abordagens. Mas os questionamentos, ainda que sem as respostas, poderiam nos ajudar a pensar um pouco mais sobre o tema.

Apresento aqui três possíveis aproximações de cristãos evangélicos a certas manifestações culturais, seguidas de algumas questões para provocar a reflexão.

  1. A negação. Seria a atitude de ver em certa expressão cultural somente seus aspectos negativos. Para muitos cristãos, no caso do carnaval esses estariam relacionados com a libertinagem da carne (numa condenação de todos os excessos que ocorrem nesses dias), para outros com as associações com poderes malignos invisíveis, ou ainda com essa autonomia humana rebelde, alegre e independente, que busca desprender-se de qualquer prestação de contas a um Deus criador.

    Perguntas: Por que somos rápidos em condenar algumas expressões do pecado e somos omissos em outras? Por outro lado, não seria correto condenar o intento humano de querer ser “livre” buscando a liberdade onde não a encontrará? Seria possível, como em muitos dilemas da vida, condenar o que está mal e afirmar o que está bem? Como escolhemos o que condenamos e o que não? Como faço para discernir o mal do bem em tantas manifestações culturais?

  2. A visão utilitarista. Seria a aproximação de alguns grupos que veem em certas festas uma oportunidade para se envolver em missão, talvez inspirados em Paulo, fazendo-se de tudo para ganhar a todos, entrando de maneira organizada nos blocos de rua, nas celebrações, mas buscando fazê-lo com uma “linguagem cristã”, com a intenção de alcançar e converter os foliões perdidos.

    Perguntas: Obviamente não é ruim querer cumprir o mandato missionário em todas as oportunidades que encontramos, mas não seria ingênuo achar que somente a mudança da linguagem já seria suficiente? Como nos conectamos com os demais? Somos somente aqueles outros que querem “ser diferentes” sem entender bem o porquê de ser diferentes? Qual a verdadeira “eficácia” de anunciar sem ouvir ao outro, sem servi-lo, sem compreendê-lo? Em que medida uma motivação proselitista utilitária mais atrapalha do que ajuda em meu testemunho?

  3. A ressignificação. Considerando que certas festas possuem uma ligação direta ou indireta com o calendário cristão, ou que se acercam de alguma maneira a valores que, vistos à parte, são identificados ou possuem pontes de contato com as crenças cristãs, como:

    a. A alegria e a celebração da arte, da vida e do corpo que Deus nos deu

    b. A clara vitória da vida sobre a morte (nos casos óbvios da Páscoa, mas também na origem da festa do Halloween, ou “All Hallow’s Eve”, a véspera do dia de todos os santos, em que os cristãos recordariam os seus “santos”, ou seja, todas as pessoas queridas crentes que já se foram, a sua fé, o legado que nos deixaram, zombando então do pífio poder da morte e celebrando a vitória da vida)

    c. O maior milagre de todos, pelo menos para os cristãos, que é a encarnação do Deus Criador em um frágil ser humano. Não há pinheirinho ou Papai Noel que ofusquem a força dessa mensagem encarnacional de esperança e de vida.

    Perguntas: Quais são possíveis caminhos para ressignificação de certas festividades populares, para compreendê-las e celebrá-las de uma nova maneira? Como ensinamos aos nossos filhos a prudência, a sensibilidade e a vivência saudável de certas manifestações de nossas culturas? Como evito o sincretismo e a ingenuidade, ao mesmo tempo em que estimulo artistas, cantores, produtores culturais, cidadãos cristãos metidos no mundo, nas diversas esferas e grupos da nossa sociedade, a cumprir seu mandato cultural e missionário?

Aqui não tenho as respostas. Mas sou agradecido por fazer parte de uma comunidade de discípulos que humildemente segue buscando caminhos e respostas para a vida e missão, na cultura e no mundo onde o Senhor nos enviou.

Por Ricardo Wesley Morais BorgesÉ casado com Ruth e pai de Ana Júlia e Carolina. Eles são missionários brasileiros entre estudantes universitários no Uruguai.

Fonte: Revista Ultimato / Projeto AMIGOS

Campanha de Bíblias 2013

A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho. Salmos 119:105

Desde 2008, o Projeto AMIGOS tem promovido campanhas de arrecadação de Bíblias para distribuição nas comunidades carentes, hospitais e locais publico, facilitando o acesso das pessoas a Palavra de Deus. As Bíblias são doadas diretamente aos AMIGOS por parceiros e voluntários. Quando a doação é feito em dinheiro, o Projeto AMIGOS compra as Bíblias nas principais livrarias do Recife.

DISTRIBUIÇÃO:

  • Flat Golden Beach – Jaboatão dos Guararapes >> Bíblias doadas: 15
  • Núcleo de Apoio a Crianças com Câncer (Janeiro) – Recife >> Bíblias doadas: 08
  • Amigos na Comunidade no Alto da Conquista - Olinda >> Bíblias doadas: 24
  • *Distribuição avulsa: 22

Total de Bíblias distribuídas em 2013: 69

*Bíblias entregues em evangelismo ou solicitadas ao Projeto AMIGOS.

Página atualizada: 05/01/2014 

Projeto AMIGOS

Santa Maria de Cambucá (Segundo visita de campo)

Projeto AMIGOS na casa de dona Branca em Manduri

Projeto AMIGOS na casa de dona Branca em Manduri 

Bebê de dona Fabiana em Manduri. Nesta visita os AMIGOS oraram pela família

Bebê de dona Fabiana em Manduri. Nesta visita os AMIGOS oraram pela família 

Cisterna de moradores de Manduri esperando as chuvas

Cisterna de moradores de Manduri esperando as chuvas 

Vegetação e paisagem de Manduri em Santa Maria de Cambucá

Vegetação e paisagem de Manduri em Santa Maria de Cambucá 

Vagner Alves, Colaborador do Projeto AMIGOS trazendo uma reflexão do Salmos 104 em Manduri

Vagner Alves, Colaborador do Projeto AMIGOS trazendo uma reflexão do Salmos 104 em Manduri

Momento de oração com a equipe de campo do Projeto AMIGOS em Manduri

Momento de oração com a equipe de campo do Projeto AMIGOS em Manduri

Wellington Nascimento e Valbério Lima nas estradas de Manduri

Wellington Nascimento e Valbério Lima nas estradas de Manduri 

Cisterna registrada pelo Projeto AMIGOS com água suja, mas utilizadas pelas famílias para consumo

Cisterna registrada pelo Projeto AMIGOS com água suja, mas utilizada pelas famílias para consumo

Wellington e Valbério na casa de uma das famílias de Manduri orando com as crianças

Wellington e Valbério na casa de uma das famílias de Manduri orando com as crianças 

Parte da Equipe de Campo do Projeto AMIGOS nas estradas de Manduri fazendo o reconhecimento do local

Parte da Equipe de Campo do Projeto AMIGOS nas estradas de Manduri fazendo o reconhecimento do local

Igreja Evangélica Pentecostal Missionária em Cristo em Manduri apoiando a Viagem Missionária dos AMIGOS no dia 16/02

Igreja Evangélica Pentecostal Missionária em Cristo em Manduri apoiando a Viagem Missionária dos AMIGOS no dia 16 de fevereiro

Pastor José Pereira (Zezinho) da Igreja Evangélica Pentecostal Missionária de Cristo em Santa Maria de Cambucá apoiando os AMIGOS

Pastor José Pereira (Zezinho) da Igreja Evangélica Pentecostal Missionária de Cristo em Santa Maria de Cambucá apoiando os AMIGOS

Único transporte para os irmãos da Missionária de Cristo está quebrada e seu conserto custa R$ 400,00. Pastor Zezinho precisa de ajuda.

Único transporte para os irmãos da Missionária de Cristo está quebrada e seu conserto custa R$ 400,00. Pastor Zezinho precisa de ajuda.

Projeto AMIGOS na Igreja Evangélica Pentecostal Missionária de Cristo em Santa Maria de Cambucá

Projeto AMIGOS na Igreja Evangélica Pentecostal Missionária de Cristo em Santa Maria de Cambucá 

EQUIPE DE CAMPO EM SANTA MARIA DE CAMBUCÁ

  • Wellington Nascimento
  • Patrícia Nascimento
  • Cláudia Lenita
  • Vagner Alves
  • Leonardo Lima  
  • Angelita Silva
  • Valbério Lima

Projeto AMIGOS

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 6.977 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: