Comunidade do Marezão

Postado em Atualizado em

Com acesso a uma das principais vias de Olinda (Av. Presidente Kennedy em Peixinhos) e por trás do Empresarial Centro da Moda, a favela Marezão é mais uma comunidade que vive o descaso do poder publico. Famílias vivendo entre lixo e esgoto, crianças em situação de risco, jovens envolvidos nas drogas entre outros pontos, deixam o Marezão na categoria ABANDONO TOTAL.

CONHECENDO A COMUNIDADE

O Projeto AMIGOS ouviu falar pela primeira vez do Marezão no trabalho social realizado em fevereiro (2011) em Nossa Prata (favela do plástico) em Maranguape II, Paulista (Zona Norte do Grande Recife). Em maio ligamos para os líderes comunitários do Marezão (Alexandre e Puã) e agendamos uma visita ao local. Wellington Nascimento, Ana Gabriela e Silvio Barbosa, da equipe de campo do Projeto AMIGOS, participaram desta visita.

PRIMEIRA VISTA

Passando pela única rua (José Mulato) de acesso à favela, tudo é tranqüilo. Parece que estamos em qualquer rua da cidade, mas a realidade muda quando chegamos ao tão conhecido campo do Marezão. Mato, lixo, esgoto a céu aberto, mau cheiro entre outros detalhes completam a imagem. Fomos levados para a residência de um dos moradores mais antigos da favela, seu José Carlos. No terraço de sua casa, registramos seu depoimento sobre a situação da favela. Segundo seu Carlos, há registro no local de doenças como dengue e leptospirose. Ele lembra que as ex-prefeitas de Olinda Jacilda Urquisa e Luciana Santos e o atual prefeito Renildo Calheiro estiveram na favela durante as eleições. “Prometeram ajudar os moradores, mas até agora nada. Teve uma que saiu daqui levada nos braços pelos moradores…” Lembrou ele.

RESTRIÇÕES

Pela primeira vez nos trabalhos de ação social realizados pelo Projeto AMIGOS em comunidades carentes, o Marezão nos deixou limitados no levantamento de informações do local. Tudo o que fazíamos tinha que ter a aprovação e supervisão dos líderes comunitários. Havia áreas que podíamos visitar e outras não. Fotos e vídeos apenas com aprovação. Apesar disso, o contato com algumas famílias aconteceu sem dificuldades. O líder Alexandre citou que as restrições eram por questões de segurança.

INFRA-ESTRUTURA

A comunidade não possui posto de saúde e fomos informados que não há visitas de agentes de saúde. A água encanada chega ao Marezão com dificuldade. Com pouca pressão nos canos, os moradores passam parte do dia enchendo baldes e bacias para consumo e uso doméstico (Detalhe: os canos que fornecem água para beber para algumas casas atravessam o esgoto que inclui fezes que saem das casas dos próprios moradores devido à falta de saneamento). Sobre luz elétrica, seu Carlos nos mostrou contas da companhia de energia (Celpe) que variam de preços sem motivos (havia contas com valores abaixo de R$ 20,00 e outras acima de R$ 70,00). As escolas municipais e estaduais ficam fora da comunidade e muitas crianças do local não possuem registro de nascimento. O Marezão está no manguezal do rio Beberibe onde muitos moradores construíram seus barracos e casas. O manguezal é importante para o ecossistema e deve ser protegido, mas registramos muito lixo jogado, além de áreas destruídas devido ao aterramento para construção dos barracos. O mangue é parte do quintal de seu Carlos e segundo ele os caranguejos ficam a disposição para quem quiser pegar. Chegamos a entrar no manguezal para registrar a situação (veja o vídeo abaixo).

AS ÁGUAS DO MAREZÃO

Seu Carlos conseguiu aterrar o local onde foi construída a sua casa. Diferente de muitos vizinhos, ele sofre menos com os alagamentos. Devido às fases da lua, a maré sobe mais que o normal invadindo casas, barracos e becos e fica assim por mais ou menos duas horas, segundo informações de uma moradora por trás do empresarial e que possui oito crianças vivendo entre mato, lixo e lama. Mesmo sabendo lidar com o vai e vem das marés, o problema pode ficar pior quando a maré alta se choca com as fortes chuvas por que as águas não tem para aonde escoar. Com o nível da água subindo e se misturando com o esgoto, as famílias, incluindo as crianças, ficam expostas as doenças. O Centro da Moda colabora com o mau cheiro no Marezão. Verificamos que um dos canos de esgoto do centro foi tapado com barro como forma de protesto pelos moradores, mas isso não amenizou o problema.

ÚLTIMA VISITA A COMUNIDADE

No sábado, 11/06, uma equipe do Projeto AMIGOS retornou ao Marezão e contabilizou o total de moradores no local.

DADOS: 151 adultos / 94 crisnças / 15 adoslescentes / Total: 260 pessoas.

Esse número não é oficial. Algumas casas estavam fechadas. Houve famílias não quiseram repassar informações para a equipe. O Projeto AMIGOS está trabalho com uma margem de 300 pessoas na comunidade.

Participaram desse levantamento: Wellington Nascimento, Patrícia França, Cláudia Lenita, Janeide Teófilo e Silvio Barbosa. Os líderes comunitários Alexandre, Puã e José Carlos estiveram auxiliando.

 

Projeto AMIGOS

Projeto AMIGOS na Casa de Meu Pai em Olinda

Postado em Atualizado em

Minha primeira visita a Casa de meu pai foi especial. Conhecer os jovens e as crianças e como funciona a entidade foi muito legal. Esta segunda visita foi ainda mais especial não só para mim, mas para todos que marcaram presença naquela tarde.

Chegamos por volta das 13:45hs e fomos muito bem recebidos pelos garotos da ONG. Fui informado que Jeferson, responsável pela Casa, não havia chegado. Percebi que faltavam também três crianças que eu lembrava bem por causa da última visita. Perguntei ao educador e ele disse que duas crianças estavam em horário de visita programada com parentes e que outra tinha viajado para São Paulo. Para essa visita arrecadamos e compramos cadernos (por causa do período escolar), toalhas e lençóis para entregar as crianças.

Não consigo esquecer aqueles rostos ansiosos aguardando o que preparamos para elas. Por voltas das 14hs juntamos todo mundo e demos início ao culto, mas antes pedi para os garotos da casa se apresentar falando os seus nomes (Renato, Gabriel, Diogo, Genivaldo, Ivson e Diego). Em seguida foi a nossa vez (Itamy, Tânia, Claudia, Milka, Leila, Nicoly, Marlon, Lucas, Niury, Iuri Ítalo). Após as apresentações fiz uma oração com todos para iniciar o culto. Cantamos alguns cânticos (Rio de vida de Kleber Lucas, Como Zaquel de Régis Danese, Na casa do meu pai da Comunidade de Nilópolis…).

Momentos depois Jeferson e o pastor Ian (coordenadores da Casa) chegaram. Enquanto o educador preparava o som para o momento da dança, incentivei as crianças fazerem pedidos de oração. Eles ficaram um pouco tímidos, mas um deles, Renato, pediu oração pela sua família. Pedi para Marlon fazer uma oração pela família de Renato. Depois lemos Salmos primeiro. Fiz uma reflexão em seguida mostrando um pouco a realidade de alguns jovens e a deles também. Foi muito bom poder ver os garotos da ONG mesmo que tímidos, falando o que entenderam do texto. Falei para eles a importância do temor ao Senhor, de não seguir conselhos de ímpios e nem se deter no meio deles para não serem influenciados pelos seus maus costumes. Enfatizei a importância de colocar em prática lá fora o que todos têm aprendido na Casa de meu pai.

Para finalizar nosso culto fiz uma oração. Depois fomos para a recreação e tínhamos preparado muitas danças e brincadeiras. Os garotos da Casa fizeram bonito na dança. Dividimos grupos e fizemos corrida de carro de mão, futebol bem diferente aonde os times, cada um com quatro garotos, tinham que jogar em dupla e de mãos dadas (Placar: 2 x 2), foi muito divertido!

Depois de muita energia gasta, era hora de comer. Todos comeram bolo com guaraná. Fizemos depois a entrega das doações para cada criança (incluindo os dois garotos que estavam com suas famílias). Fizemos uma doação de oito cadernos de 12 matérias, toalhas e Bíblia Sagrada adaptadas para adolescentes que foi parte da Campanha de Bíblias do Projeto AMIGOS e também um DVD com um filme muito legal.

Antes de finalizarmos o nosso trabalho com os garotos, passei a palavra para Jeferson. Ele agradeceu a presença de todos na instituição e pelo bonito trabalho. O Pr. Ian finalizou com uma oração. Ainda fomos presenteados com sorvete (a gente nem queria…)

Saí da Casa de meu pai com o meu coração regozijado por tudo que o Senhor realizou naquele lugar. Como é bom saber que existe um Deus tão grande e tão poderoso que usa pela sua misericórdia, pessoas pequenas e falhas para cumprir o seu propósito. Toda honra e glória ao Rei dos reis, Jesus Cristo!

Por: Itamy Lopes, Líder do Ministério Semeando no Trono
E-mail: itamylopes@hotmail.com
Finalização: Wellington Nascimento

GALERIA DE FOTOS

Momento de Oração com as Crianças na Casa de meu pai
Reflexão: Salmo 1 – Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores…
Futebol da Paz: Unidade para vencer.
Tânia e Itamy entregando os cadernos para as crianças: Todas receberem!
(Apartir da esquerda) Itamy e Tânia do Ministério Semeando no Trono, Jeferson da Casa de meu pai e Claudia do Projeto AMIGOS doando as Bíblias e o DVD.
Todos os participantes da primeira visita 2011 a Casa de meu pai em Olinda

Projeto AMIGOS 

Projeto AMIGOS em Paulo Afonso, BA

Postado em Atualizado em

A minha primeira viagem missionária representando o Projeto AMIGOS com o Projeto Mandacaru foi para Juá, um povoado em Caruaru, interior pernambucano. Foi uma viagem inesquecível. Quando fiquei sabendo sobre a viagem para Paulo Afonso novamente com o Mandacaru (e também os Herdeiros de Cristo), desejei muito participar. O Projeto AMIGOS não podia enviar uma grande equipe (boa parte do pessoal já estavam em uma viagem diferente) e não havia recursos para isso. A viagem estava marcada para sexta-feira, 21 de janeiro e só conseguimos o dinheiro para a passagem um dia antes, encima da hora. Fiquei muito feliz! Sabia que eu e os irmãos viveríamos novas experiências na visita ao povoado de Quixabá e a tribo indígena Kantaruré. Como o Projeto AMIGOS tem buscado destacar o trabalho dos missionários em tribos indígenas, vimos que essa seria uma nova oportunidade após depois da tribo Kambiwá, próximo do município de Ibimirim (PE) com os pastores Santos e André.

A SAÍDA

Por volta das 23hs, estávamos saindo do Recife para Paulo Afonso. O Projeto Mandacaru organizou dois ônibus. Não tive informação do segundo ônibus, mas o que eu estava chegou a parar três vezes devido a problemas técnicos. A última parada foi na Bahia para troca peça. Por volta das 10hs da manhã chegamos ao município de Paulo Afonso, ao povoado de Quixabá.

POVOADO DE QUIXABÁ

Quixabá não é uma comunidade grande e não classifico como muito carente. Quixabá possui um pequeno comércio, escola publica, posto de saúde, poço artesiano e luz elétrica. Nenhuma *igreja evangélica no povoado, mas Quixabá conta com dois missionários, Fátima Maria e Josiel Amaro do Projeto Ebénezer. Esses missionários estão no povoado há quatro anos e também na tribo Kantaruré. Após meia hora de nossa chegada em Quixabá, saímos para o evangelismo de casa em casa. Foi nessa visita que conheci dona Lilica, uma senhora 100 anos. Ela compartilhou que perdeu sua casa nas últimas chuvas e hoje mora com um dos filhos. Dona Lilica participava dos cultos na tribo junto com uma amiga, mas depois do falecimento da mesma, ela não pode mais se deslocar. Quando pode, visita os cultos realizados na praça principal do povoado.

Por volta de meio dia almoçamos. Foi nesse momento que podemos conhecer toda a equipe de missionários. Mais tarde seguimos para a tribo Kantaruré.

TRIBO KANTARURÉ

Por volta das 15hs chegamos à tribo. Do povoado a tribo, gastamos meia hora. A estrada é asfaltada, mas isso até a Kantaruré, depois disso é apenas areia (temos a impressão de estarmos na praia). As casas dos índios são de barros e a carência foi vista quando entramos nelas. A tribo possui luz elétrica e cisternas. Os índios da Kantaruré vivem da plantação na roça comunitária aonde parte do que colhem é para próprio alimento e para vender nas estradas. A tribo possui muitas crianças e nesta visita que fizemos mais de 30 crianças aceitaram a Jesus, além da esposa do líder comunitário da tribo. Foi realizada toda uma programação com as crianças indígenas.

CULTO NA PRAÇA DE QUIXABÁ

À noite estávamos na Praça de Quixabá para um culto ao ar livre. A equipe dos dois ônibus estava presente. O Culto foi benção! Louvor, pelas teatrais e a pregação da Palavra de Deus tornou aquele culto marcante para todos nós. Várias pessoas aceitaram a Jesus neste culto.

DOMINGO

Hoje Visitamos à hidrelétrica de Paulo Afonso. Linda a paisagem!

Às 14hs retornamos para o Recife. Chegamos por volta às 22hs na cidade.

Obrigada Senhor!

GALERIA DE FOTOS

Dona Lilica do povoado de Quixabá
Índios Kantaruré (Míria e Pr. Gustado a direita)
Culto com as crianças indigenas Kantaruré
Índios Kantaruré, Bahia
Culto na Praça de Quixabá – Encenação da peça Apocalipse
Momento de oração no local onde será construída a PIB em Quixabá
Pausa para conhecer a Hidroelétrica de Paulo Afonso
A turminha 

VÍDEOS

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS

Pr. Gustavo Melo – Igreja Batista Renascer em Caixa D’água

Pr. Miguel – Igreja de Deus em Piedade / Projeto Mandacaru

*Você pode ajudar na construção da PIB em Quixabá:
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
Agência 0985
C/C 023.1064-8 (Missionário Josiel Amaro)
BRADESCO
Agência 3688-9
C/C 521786-5 (Missionária Fátima Maria)

Projeto AMIGOS 

Abril pra Missões 2010

Postado em Atualizado em

O Projeto AMIGOS realizou a Primeira Edição do Abril pra Missões reunindo várias igrejas evangélicas para falar, discutir, incentivar e viver missões. As igrejas convidadas para o evento apresentaram músicas, peças teatrais, testemunhos e relatórios de viagens missionárias.

O evento aconteceu na Escola Raimundo Deniz (Estrada de Águas Compridas, S/N, Águas Compridas, Olinda-PE) com entrada de R$ 2,00 e 1 kg de alimento não perecível para as famílias do Loteamento Jardim El Dourado e para as mulheres da Casa de Apoio Sempre Viva em Dois Unidos, Recife.

IGREJAS PARTICIPANTES

• Igreja Batista Missionária em Águas Compridas, Olinda • Igreja Presbiteriana Renovada em Dois Unidos, Recife. • Igreja Evangélica Batista em Águas Compridas, Olinda. • Igreja Batista Ágape em Beberibe, Recife. • Igreja Batista Graça e Paz em Boa Viagem, Recife. • Igreja Evangélica Nova Jerusalém, em Joana Bezerra, Recife.

GALERIA DE FOTOS

Adolescentes da Igreja Batista Missionária em Águas Compridas
Grupo Louv\’art da Igreja. Presbiteriana Renovada em Dois Unidos
Ministério Sonhadores – Igreja Batista Ágape em Beberibe
Juventude da Batista Ágape em Beberibe
Crianças participando do Abril pra Missões
Juventude Batista Graça e Paz de Boa Viagem
Momento de Oração pelos Cristãos Perseguidos
Adolescentes da Igreja Evangélica Nova Jerusalém em Joana Bezerra

Projeto AMIGOS